Digite aqui

Ausência de advogado em audiência não afasta confissão ficta da parte que também não compareceu

Ausência de advogado em audiência não afasta confissão ficta da parte que também não compareceu

A 10ª turma do TRT da 3ª região negou provimento de trabalhador que pleiteou o afastamento de sua confissão ficta em audiência que nem ele e nem seu advogado estavam presentes. Para o colegiado, o impedimento do advogado, em razão de problemas de saúde, não isenta o próprio reclamante de comparecer à audiência.

O reclamante pretendia o afastamento da confissão que lhe foi imposta, ao argumento de que a sua procuradora esteve em consulta médica no dia da audiência. O juízo de 1º grau, no entanto, destacou que o reclamante poderia justificar a ausência da sua patrona e, até mesmo, requerer o adiamento da audiência, o que não o fez.

No recurso interposto ao TRT da 3ª região, o trabalhou sustentou que a confissão ficta não pode afastar o direito ao pagamento pelo intervalo intrajornada reduzido. Mas, embora as alegações do trabalhador tenham sido comprovadas por documentos, a desembargadora Taisa Maria Macena de Lima, relatora, não acolheu sua pretensão.

A magistrada invocou art. 843 da CLT que versa sobre a presença do reclamante e o reclamado na audiência, independentemente do comparecimento de seus representantes. Taisa Lima pontuou que, ao optar por não comparecer à audiência, o reclamante assumiu o risco de seus atos.

Frisou, por fim, que a confissão ficta não torna verdadeiras todas as alegações da parte contrária, “devendo ser avaliada à vista da verossimilhança das alegações e confrontada com a prova pré-constituída”.

Por unanimidade, a 10ª turma conheceu do recurso, mas negou provimento.

Veja o acórdão.